24 de ago de 2010

Todas as marcas estão na rede, independentemente de quererem ou não

O assunto foi levantado no 1º Seminário sobre Redes Sociais, realizado na noite desta quinta-feira (19), em auditório lotado na ESPM, em São Paulo

Tiago Ritter, sócio-fundador da W3Haus, levou um ponto de vista interessante para apresentar no 1º Seminário sobre Redes Sociais, realizado pelo propmark e PS Carneiro Eventos na noite da última quinta-feira (19), na ESPM, em São Paulo. De acordo com o especialista em comunicação digital, todas as marcas já estão nas redes sociais, independente de serem ativas ou não. “Quando um cliente pergunta para nós se deve ou não entrar nas redes sociais, tentamos explicar que ele não tem opção, porque todas as marcas já estão dentro. Está todo mundo falando”, comentou Ritter.

Para o publicitário, entre as ações mais importantes sobre como uma marca deve agir nas redes sociais estão o monitoramento, acompanhamento do que as pessoas falam e respostas  constantes ao consumidor. O segundo passo seria a criação de relacionamento  e formação de seguidores, verdadeiros embaixadores da marca. E por fim, a oferta de serviços uteis na rede.

Gustavo Donda, diretor de planejamento do GrupoTV1, enfatizou que na internet as marcas têm de ir atrás da audiência, diferentemente de outros meios tradicionais como TV e rádio onde você compra ela. Ele também ressaltou a importância do planejamento, continuidade e consistência das ações e mensuração.
 
“Redes sociais é um caminho sem volta. Por isso é preciso escolher bem os canais, elaborar pautas com antecedência e respeitar premissas como aderência, continuidade e consistência. Não dá só para fazer uma campanha e ir embora. Lembre que as marcas estão montando um canal de televisão na web”, falou Donda. Segundo ele, outra forma de gerar relacionamento nas redes é investir em conteúdo de marca. “Toda empresa tem algo para falar. Redes sociais são notícia o tempo todo porque fazem parte da vida das pessoas”, destacou o publicitário.

Já Gil Giardelli, co-fundador da Gaia Creative, abordou o aspecto emocional e sobre como a rede está mudando o comportamento das pessoas. Para ele, as pessoas estão na rede para se divertir, produzir conteúdo e também disseminar a bondade. “Se não fosse assim, por que as pessoas teriam gastado até agora 100 milhões de horas para editar a Wikipedia? As redes mudaram o que fazemos e o modo como pensamos. A ciência já provou que a internet mudou o nosso cérebro. A sensação de contribuição para um mundo melhor nos deixa mas feliz”.

O 1º Seminário sobre Redes Sociais, que lotou o auditório da ESPM, também contou com a palestra de Aleksandar Mandic, da Mandic Internet, que apresentou o case “ 1º candidato 100% online”. 


por Kelly Dores

23 de ago de 2010

Fusão entre Itaú e Unibanco é aprovada pelo Cade

Operação foi aprovada sem nenhuma restrição

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou durante reunião nesta quarta-feira (18) a fusão entre os bancos Itaú e Unibanco. O negócio foi anunciado em novembro de 2008. De acordo com informações do conselho, o órgão aprovou a operação sem impor nenhuma restrição.

Com a união das instituições financeiras, há concentração superior a 20% em alguns dos mercados relevantes analisados: cartão de crédito, financiamento para aquisição de veículos e habitação, empréstimo em moeda estrangeira, seguros e previdência privada.


Com informações da Agência Estado

Coca-Cola, Vivo e LG são destaque na internet no 2º trimestre

IAB Brasil premia empresas como as maiores anunciantes do período

O IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau) elegeu Coca-Cola, Vivo e LG como os maiores anunciantes do mercado digital durante o segundo trimestre de 2010. A escolha, feita por meio dos comitês de trabalho da entidade, leva em consideração o investimento das marcas em internet, baseados nos números do Ibope Monitor, e também a excelência na utilização das mídias interativas.

“O IAB Brasil vem se empenhando cada vez mais em crescer o mercado de mídia interativa, olhando o meio como uma plataforma de comunicação e negócios. Essa premiação da entidade visa reconhecer as marcas que já incorporaram os meios digitais como protagonistas no seu mix de comunicação e não simplesmente como um apêndice”, explica Marcelo Prais, vice-presidente de agência do IAB Brasil.


A Coca-Cola foi destacada no mês de abril, Vivo em maio e LG em junho. Criada no início deste ano, a homenagem foi direcionada, no primeiro trimestre, as empresas Samsung, Nokia e Unilever.

Agência Scama cria anúncio para McDia Feliz

Peças serão veiculadas dentro do condomínio Downtown


O Downtown apadrinhou o McDonalds local, ajudando a divulgar o McDia Feliz. A Agência Scama criou um anúncio para o condomínio que chama as pessoas para comprarem antecipadamente os tickets para os Bic Macs.  

O McDia Feliz é a maior campanha do País no combate ao câncer infanto-juvenil, além de ser o principal evento comunitário do Sistema McDonald’s no Brasil. 

A edição 2010 do McDia Feliz será realizada em 28 de agosto e o lucro com a venda dos Bic Macs será revertido para instituições que cuidam de crianças e adolescentes com câncer.

22 de ago de 2010

Gillette renova patrocínio da Seleção Brasileira de Futebol

Novo contrato é válido até 2014; anunciante poderá explorar status em campanhas

A Gillette renovou seu contrato de patrocínio à Seleção Brasileira de Futebol até 2014. Além do time masculino, a parceria também contempla as seleções sub-23, sub-20, sub-17 e feminina.

A marca poderá usar o titulo de “Patrocinadora oficial da Seleção Brasileira de Futebol”, utilizar imagens de jogadores, exibir seu logo em placas de campo e realizar ações promocionais explorando a marca da Seleção.


por Cristiane Marsola

P&G faz maior investimento no Brasil em 10 anos e lança três novas marcas

Olay, Head & Shoulders e Naturella são as apostas da empresa para continuar crescendo

 
 A Procter & Gamble não fala em números, mas está fazendo o maior investimento da última década no Brasil ao lançar três marcas no país, depois de 11 anos da introdução da última linha de produtos e cinco verões após a compra de Gillette. A gigante mundial traz para o país, ao mesmo tempo, a marca Olay, de produtos para cuidados com a pele, Naturella, um absorvente, e Head & Shoulders, linha de shampoo e condicionador anti caspa.

Desde que lançou Ariel por aqui, a Procter & Gamble investiu apenas em extensões de linha e de marca, como a introdução do creme dental Oral B e o recente lançamento do desodorante Gillette. Mas por que levou tanto tempo para a P&G ingressar em novos segmentos? “Há critérios para se lançar novas marcas, o momento econômico do Brasil é propício e há muitas oportunidades de mercado no país”, responde Tarek Farahat, Presidente da Procter & Gamble no Brasil, em entrevista ao Mundo do Marketing.


Com presença em 180 países, o Brasil está entre os 15 maiores mercados da Procter & Gamble no mundo e é uma das prioridades de investimento. Apenas em produção, foram gastos R$ 100 milhões no último ano. Aqui, ao contrário de outros países, as mulheres lavam o cabelo todo dia. Mas ainda há muito que crescer. Enquanto nos Estados Unidos o gasto médio por pessoa com beleza é de R$ 200,00, aqui, este número não passa de R$ 12,00 por ano.


 Foco na Classe C

Das cerca de 300 marcas que a Procter & Gamble tem no mundo, apenas 26 estão no Brasil. A meta, por enquanto, é fazer com que todos os brasileiros comprem um de seus produtos, seja Duracell, Gillette, Pampers, Pantene, Always ou Pringles. Hoje, a companhia calcula que vende para 125 milhões e quer chegar a 200 milhões em 2015. O foco vai desde bebês até idosos, de todas as classes, mas boa parte destes consumidores está na baixa renda. “Um dos objetivos do nosso negócio é a classe C, pois é um país inteiro comprando”, aponta Farahat.

Por isso, o lançamento de Olay. “O foco de Olay é na classe C”, afirma o Presidente da Procter & Gamble no Brasil, ressaltando que as cinco linhas destinadas aos cuidados diários da pele vão competir com Avon e Natura. A diferença é a venda no varejo. Este canal, inclusive, tem atenção especial neste momento da companhia. Durante uma semana, a P&G montou um grande evento destacando cada uma de suas marcas e mostrando como destacá-las melhor no ponto-de-venda para vender mais.


Mais de mil varejistas, desde grandes nomes como Walmart, até pequenas redes de farmácias, puderam conhecer melhor cada produto e ver como uma simples organização diferenciada de gôndola de Gillette pode aumentar as vendas em 7%. Para lançar os produtos Olay, uma tela touch screen com um programa que traça o perfil da consumidora e indica as linhas mais adequadas será instalada em farmácias. “Uma das peças principais do nosso investimento está no ponto-de-venda”, aponta Juliana Azevedo Schahin, Diretora de Marketing da P&G.


 Conhecimento do consumidor

Segundo a empresa, Olay é a marca líder de cremes faciais nos Estados Unidos e na Europa e utilizada por mais de 77 milhões de mulheres em todo o mundo. “Teremos o apelo para a classe C por estar no varejo, mas há o creme antiidade que custará R$ 70,00 e alcançará a classe B também”, aponta Juliana, ressaltando que a empresa não trabalha com foco nesta segmentação, uma vez que seus produtos, mesmo os mais premiuns, são consumidos por todas as classes. “A fralda noturna de Pampers, a mais cara da linha, é mais vendida na baixa renda, porque o bebê dorme com os pais na mesma cama e não pode molhar o colchão”, explica em entrevista ao Mundo do Marketing.

Ao conhecer o consumidor neste nível, fica mais fácil lançar marcas como o absorvente Naturella. Enquanto Always oferece máxima proteção e absorção, o novo produto age também na prevenção de irritação associada à menstruação. É o famoso dois em um que a baixa renda tanto gosta. É o mesmo conceito de Head & Shoulders, que promete eliminar a caspa visível na primeira lavagem e garante cabelos hidratados da raíz às pontas.


Os produtos da linha P&G Beauty, com mais de 100 marcas em quase 130 países, foram responsáveis por vendas de US$ 28 bilhões no ano fiscal 2007/08, de acordo com pesquisas. Com 19 centros de desenvolvimento e pesquisa ao redor do mundo e mais de nove mil cientistas investindo em novas tecnologias, os produtos Olay utilizam ingredientes que prometem mudar o aspecto da pele das consumidoras. Tudo isso para manter o crescimento de dois dígitos que a Procter & Gamble vem obtendo no Brasil nos últimos anos.

Por Bruno Mello, do Mundo do Marketing

Banda Restart licencia marca

Meninos do grupo estamparão capas de caderno e embalagens de chicletes

A Banda Restart licencia sua marca com a expectativa de faturar R$ 40 milhões em vendas no varejo. Em um mês de ação, o grupo de “happy rock” fechou contratos com a Ecológica Papéis - para uma linha de cadernos, pastas, fichário e bloco de anotações - e com a Riclan, que lançará chicletes. A Editora OnLine também trabalhará com a banda para a confecção de duas revistas, álbum de figurinhas e cards estampados com as imagens dos músicos. Já as empresas Playphone e Pmovil fornecerão conteúdo para celulares sobre o Restart.